Cigarro pode custar caro para a saúde do bolso

O consumo do fumante brasileiro pode chegar a quase R$ 2 mil por ano

Cigarro pode custar caro para a saúde do bolso

Quem fuma não tem ideia, muitas vezes, de quanto gasta por semana ou mês com a compra do cigarro. O vício, que atinge 14,8% dos brasileiros acima de 18 anos, conforme dados de 2011 do Datasus/Ministério da Saúde, causa diversos problemas na saúde de quem o consome, como doenças respiratórias, cardiovasculares ou câncer, e financeira da família.

O pneumologista Alberto José de Araújo diz que as pessoas recebem muitas informações sobre os danos do tabaco à saúde, mas infelizmente não são suficientes. "Motivados pela dependência, muitos fumantes não percebem que se deixassem de gastar o dinheiro com cigarro seria possível investir em bens essenciais, como uma melhor alimentação ou qualidade de vida", acrescenta o especialista.

Um cálculo rápido exemplifica da maneira simples as mudanças que podem ser alcançadas, considerando alguém que fume um maço/dia, ou 20 cigarros, e decida largar o produto. Com base em dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia, um maço é vendido em média por R$ 4,80. Por mês, a despesa seria de R$ 144,00 e R$ 1.728,00 no ano.

Para quem ganha um salário mínimo, o dinheiro representa ¼ da renda do fumante. Com esses valores no bolso, o dependente teria a quantia suficiente para comprar uma TV LCD de 42 polegadas, eletrodomésticos, cerca de cinco cestas básicas ou até investir em viagens.

Ajuda médica é fundamental

O acompanhamento médico, para quem decide largar o cigarro, é fundamental especialmente no início do tratamento. Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que fumantes que tentam parar de fumar sem ajuda têm chances menores de sucesso (média de 5%). Os que conseguem largar o cigarro, apenas de 0,5% a 5% mantêm a abstinência por um ano sem apoio médico.


Por Natália Farah

Comente

Últimas