Como diagnosticar o TDAH em crianças?

Para saber se a criança tem TDAH é preciso observar! Veja alguns sinais

TDAH

Diferentemente de muitas doenças neurológicas, o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) conta apenas com um questionário de 18 perguntas recomendado pela Associação Americana de Psiquiatria para ser diagnosticado.

Para saber se a criança tem TDAH é preciso que os pais fiquem atentos aos seguintes pontos: se seu filho está atrapalhando a aula, se vai mal na escola, se sempre desafia ou enfrenta mais velhos e autoridades, se é uma criança difícil de lidar.

Nos adultos, pode haver dificuldade de concentração em palestras, aulas ou leitura, desatenção, relutância em iniciar tarefas que exigem longo esforço mental, problemas com organização, planejamento ou mesmo memória a curto prazo (marcada pela perda ou esquecimento de objetos, nomes, prazos, datas). Além disso, pode vir associado a outras doenças como depressão, transtorno de ansiedade ou distúrbio alimentar.

Uma vez confirmada à existência da doença é importante recorrer a um tratamento multidisciplinar, assessorado por médicos, psicoterapia, orientação aos pais e professores. Quando há necessidade do uso de medicamento, ele deve ser prescrito com bastante critério pelos médicos. Os especialistas dizem que o tratamento medicamentoso é uma opção muito criteriosa e eventual, mas que não isenta os pais de rever o processo de desenvolvimento e educação do filho.

Fazer todos os desejos da criança pode ser perigoso. Assim como não estimulá-la a conviver com frustrações e mostrar que elas têm tarefas, rotinas e horários. Tentar impor uma lista de cobranças à criança pode apenas agravar a doença.

O TDAH é um dos principais transtornos ligados à aprendizagem e está presente em cerca de 5% da população. Entre os principais aspectos de uma criança com TDAH são inquietação, questionamento excessivo, dificuldade de prestar atenção na aula, distrair-se facilmente e ficar disperso quando o professor explica a matéria. Pouca paciência para estudar, capacidade de fazer várias coisas ao mesmo tempo e dificuldade de terminá-las também devem ser observadas.

Na escola, quando a criança está lendo um livro, por exemplo, consegue chegar ao final da página, mas não lembra o que leu e sempre tem de voltar ao início. Além disso, como não suporta tédio ou tarefas burocráticas e sem criatividade, tende focar a atenção somente quando gosta do assunto ou quando é desafiado. Assim, para as matérias que não tem tanto interesse terá de fazer um esforço muito maior do que os outros.

O transtorno, no entanto, não deve ser confundido com a dislexia, um processo de dificuldade severa do aprendizado da leitura, que só pode ser verificada com pelo menos dois anos de alfabetização. Especialistas, no entanto, são categóricos ao dizer que não há necessidade de a criança com TDAH frequentar escolas ou classes especiais. Isso pode trazer estigmas e fazer com que a criança comece a ser vista como diferente.

Se você suspeita que seu filho, sobrinho ou algum conhecido tenha o transtorno, a partir dos sintomas que listamos, procure orientação médica e a ajuda de um psicólogo. Converse também na escola com diretores e professores que convivem com a criança. A união de informações a respeito do comportamento dele será fundamental para o diagnóstico preciso e o tratamento correto.

Natália Farah


Comente

Últimas