Conheça alguns vilões do intestino preso

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Nós listamos os principais culpados para seu intestino não funcionar como deveria

Os vilões do intestino preso

O intestino preso, problema que atinge uma em cada sete mulheres, tem mais inimigos do que se imagina. Contra ele estão, por exemplo, nada mais nada menos do que o desejável chocolate, o diabetes, além de uma dieta pobre em fibras.

Se você pertence ao grupo das ‘entupidas’, preste atenção na lista abaixo que selecionamos porque encontramos alguns culpados para seu intestino não funcionar como deveria. Nossa sugestão é que você anote todos e adicione, ainda, doses diárias de exercícios físicos, que ajudam na movimentação do órgão.

Consumo pobre de fibras

Uma dieta rica em queijo e outros alimentos com poucas fibras e muita gordura, tais como ovos e carne, retarda a digestão. Por isso recomenda-se adicionar verduras, frutas e outros alimentos que contenham fibras dieta e evitar fast foods e alimentos processados, que geralmente pobres em fibras.

Chocolate

Há algumas evidências de que o chocolate pode causar prisão de ventre, embora outros estudos digam que ele até ajuda algumas pessoas constipadas. Uma pesquisa de 2005 comprovou que pessoas com constipação crônica ou síndrome do intestino irritável são mais propensas do que as pessoas sem esses problemas. Isso não quer dizer que você deve bani-lo de sua alimentação, em todo caso, melhor diminuir o consumo diário.

Vitaminas

Em geral, vitaminas não causam obstipação, mas certos componentes como cálcio e ferro podem ser um problema. Em alguns casos pode ser recomendável que pacientes que estejam tomando suplementos à base de ferro ou cálcio suspendam sua ingestão.

Gravidez

Pois é. As grávidas tendem a sofrerde constipação intestinal nesse período. Embora o problema não afete em nada o bebê, a constipação acontece no período gestacional porque à medida que a barriga cresce, o útero dilata, comprime o intestino e, consequentemente, causa a prisão de ventre. O incômodo, em geral, se agrava a partir do segundo trimestre, quando o bebê está maior e o intestino mais pressionado. Os especialistas indicam comer de três em três horas, mastigar bem os alimentos, incluir bastante fibra no cardápio como pão e arroz integral, barrinhas de cereal, verduras e legumes crus e cozidos.

Uso excessivo de laxantes

Alguns laxantes funcionam estimulando a atividade intestinal por causarem uma irritação da mucosa. No entanto, é importante destacar que laxantes só devem ser ingeridos com prescrição médica. Quando utilizados por longos períodos de tempo, os laxantes podem levar à dependência, ou seja, o intestino pode não funcionar corretamente sem eles.

Doença inflamatória intestinal

A doença inflamatória intestinal (DII) inclui duas condições crônicas principais: a doença de Crohn e a colite ulcerativa. Ambas podem causar cólicas, perda de peso, sangue nas fezes e outros problemas de saúde. A diarreia crônica é um sintoma comum de ambas. No entanto, a constipação pode ser um problema também. Na colite ulcerosa, a constipação pode ser um sinal de inflamação no reto e na doença de Crohn pode ser um sinal de obstrução no intestino delgado.

Diabetes e condições neurológicas

A diabetes pode causar danos nos nervos que podem afetar a capacidade de uma pessoa digerir os alimentos. A maioria das pessoas com diabetes avançado apresentam este problema. Ainda assim, é razoável fazer um teste de açúcar no sangue em alguém que é regularmente constipado. Condições neurológicas tais como a esclerose múltipla ou a doença de Parkinson podem causar obstipação. Normalmente, porém, a obstipação aparece juntamente com outros sintomas, como dificuldade para urinar, visão dupla ou um problema de marcha.


Por Natália Farah

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas