Conheça os centros especializados de TDAH em todo o Brasil

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Escolas dispõe de profissionais habilitados para lidar com crianças com TDAH

TDAH

Muitos pais têm dificuldade de identificar nos filhos doenças e alguns tipos de transtornos. A criança hiperativa e desatenta em casa e na escola já foi taxada de impossível e até mal educada. Na atualidade, a medicina reconhece os sintomas como Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), que surge na infância e afeta de 3% a 5% das crianças e adolescentes, e evolui progressivamente ao longo da vida adulta, caso não seja tratado.

Em parceria com a família, os médicos consideram os professores fundamentais no processo de diagnóstico da doença. Isso porque para ser considerado TDAH, os especialistas avaliam a combinação de déficit de atenção e hiperatividade apresentada em casa e na escola.

A Faculdade de Medicina do ABC incluiu na programação, há pouco tempo, a pós-graduação em Aperfeiçoamento em Neuroaprendizagem, que aborda os transtornos de aprendizagem, e destinado aos profissionais da área da educação e da saúde. A partir da especialização estarão aptos a observarem com mais clareza o transtorno do aluno.

Embora crianças com TDAH dividam as salas de aulas com colegas sem o transtorno, existem centros especializados para lidar com a questão de maneira mais assertiva, defendida inclusive por quem entende do assunto. Ao contrário do que acontece no Brasil, nos Estados Unidos, por exemplo, uma lei favorece o portador desse transtorno e indica que ele deva frequentar a sala de aula e contar com o apoio de um segundo professor, só para ele.

Quem tem filho portador do TDAH e mora na capital paulista vai encontrar na Escola Vésper atendimento individual. Por lá, as crianças têm apoio de psicopedagogos e professores que os ajudam a fazer a lição de casa e os orientam em questões relacionadas ao aprendizado. Além de conversarem com os pequenos em tom mais baixo, pausado, com mensagens claras e diretas.

No Rio de Janeiro, a Esil Educacional implementou recentemente o Espaço Integrar, uma sala de aula que tem a presença de um pedagogo especializado, capaz de acolher o estudante com déficit de atenção e hiperatividade e o professor dele em situações mais delicadas.

ABDA - A Associação Brasileira do Déficit de Atenção (ABDA) divulga em seu site diversos lugares de tratamento, entre eles hospitais, escolas e institutos. Todos os locais indicados declaram experiência e atualização no tratamento de TDAH, conhecendo as recomendações e diretrizes da comunidade científica. Confira alguns listados abaixo.

São Paulo

Programa de Diagnóstico e Intervenções Precoces (Exclusivo para menores de 06 anos)

Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

PRODATH - Projeto de Déficit de Atenção e Hiperatividade (adultos)

Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

ADHDA - Ambulatório para Distúrbios Hiperativos e Déficit de Atenção (crianças e adolescentes)

Serviço de Psiquiatria da Infância e Adolescência - HC - USP

Rio de Janeiro

Instituto de Puericultura e Pediatria Martagão Gesteira da Universidade Federal do Rio de Janeiro

(IPPMG/UFRJ)

Ambulatório de Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) do IPPMG/UFRJ

Serviço de Atendimento e Psiquiatria Infantil da Santa Casa de Misericórdia (Crianças-adolescentes)

Outras informações no site da Associação: http://www.tdah.org.br

Natália Farah


  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas