Consequências da psoríase

Portadores da doença podem sofrer de depressão e até insônia

Consequências da psoríase

A Sociedade Brasileira de Dermatologia estima que 3% da população tenham psoríase. A doença que causa lesões avermelhadas e descamativas na pele é crônica, inflamatória e autoimune, podendo afetar também as articulações.

E num mundo onde a ditadura da beleza às vezes dita as regras, os portadores da doença precisam não somente lidar com a doença, mas também com os problemas psicológicos que vêm com ela. Isso porque as enfermidades muitas vezes confundidas com micoses ou alergias geram preconceito e consequente isolamento do psoriático.

De acordo com o estudo quantitativo "National Health and Wellness" (NHWS), feito pela Kantar Health, os psoriáticos estão mais sujeitos a apresentar problemas como insônia, depressão e enxaqueca com mais frequência do que as pessoas que não possuem a doença. O levantamento foi realizado pela internet em 2011, com 12 mil brasileiros de 18 anos ou mais. Destes, 205 afirmaram ter a doença.

Enquanto 33% dos adultos sem psoríase afirmaram sofrer de ansiedade, 50% dos entrevistados com a doença disseram apresentar o problema. A insônia atinge 22% dos adultos sem a doença e 46% dos psoriáticos e a depressão, 33% dos portadores de psoríase e somente 16% dos adultos sem a doença.

A psicóloga Mara Lúcia Madureira, especialista em psicoterapia cognitivo-comportamental, conta que as doenças dermatológicas em geral apresentam uma estreita relação com estados emocionais perturbadores, tanto como fatores desencadeantes, como agravantes de quadros já existentes. O estresse, por exemplo, é uma resposta biológica que se manifesta diante de situações percebidas como perigosas ou ameaçadoras.

"O medo da rejeição, evitação ou do preconceito é um fator altamente estressante para portadores de psoríase. O paciente sabe que a doença não é contagiosa, mas teme a reação das pessoas em relação a si, daí a revolta, a indignação, a insônia", explica.

Dra. Mara lembra ainda que a psoríase pode ser considerada causa ou consequência de problemas emocionais, ou seja, os episódios ou surtos podem ser desencadeados ou agravados por eventos estressantes e estados de humor deprimido. "No entanto, a presença dos sintomas afeta a imagem e as relações interpessoais do paciente e tende a piorar os quadros depressivos e aumentar o nível de estresse e a vulnerabilidade aos outros transtornos emocionais e afetivos dos pacientes portadores da doença."

Para minimizar esses problemas, o melhor é o psoriático procurar um psicólogo. Ele vai ajudar o paciente a minimizar seus temores, motivando-se para a aquisição de novas estratégias de enfrentamento das situações. "O domínio de técnicas de controle de estresse e ansiedade, o tratamento e prevenção da recaída da depressão e o treinamento em habilidades sociais possibilitarão o enfrentamento das situações com menos ansiedade, mais assertividade e qualidade de vida", diz a psicóloga.

Causas e tratamento

A forma ideal de tratar a psoríase é por meio da combinação entre medicina e psicoterapia. "O paciente deve seguir e corretamente as orientações e administrar as prescrições do dermatologista e fazer acompanhamento psicoterápico cognitivo-comportamental", diz Dra. Mara Lúcia.

O Dr. Alexandre Gripp, dermatologista e chefe da disciplina de Dermatologia da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), explica que a causa da psoríase é genética, porém com muitos fatores ambientais como desencadeadores, por exemplo: estresse, medicamentos como corticosteroides orais ou injetáveis (substância químicas para tratar alergias e infecções), beta-bloqueadores (diminuem os efeitos da adrenalina e do estresse) e infecções.

Esses fatores, associados à síndrome plurimetabólica (acúmulo de gordura abdominal que desencadeia uma série de alterações metabólicas), podem agravar o problema. "A psoríase tem controle, podendo o paciente ter excelente qualidade de vida. Os tratamentos dependem da gravidade da doença e podem ser tópicos ou imunobiológicos (vacinas, por exemplo), passando por fototerapia, imunossupressores (medicamentos que enfraquecem o sistema imunológico) e retinoides (derivados de síntese da vitamina A)", diz o médico.


Juliana Falcão (MBPress)

Comente

Últimas