Crises epiléticas manifestam-se de várias formas

Durante a crise, parte do cérebro emite sinais incorretos, que podem ficar restritos a esse local ou espalhar-se em todo o órgão

Crises epiléticas manifestamse de várias formas

A epilepsia representa uma grande carga emocional tanto para os pacientes quanto para as famílias. A doença origina-se de um distúrbio do cérebro e existe uma predisposição de a pessoa ter crises convulsivas.

Isso nem sempre acontece com todos os pacientes, uma vez que há diferentes tipos de manifestações da doença. O que não significa que as menos aparentes têm menor importância.

Durante a crise, parte do cérebro do paciente emite sinais incorretos, que podem ficar restritos a esse local, chamada de crise parcial, ou espalhar-se em todo o órgão, as generalizadas, que são as mais frequentes. Há ainda manifestações do tipo estado de mal epilético, mioclônica a atônica. Veja abaixo outros tipos:

- Crises de ausência: quando a pessoa ‘desliga’ por um instante e depois pode voltar à vida normal.

- Crises parciais simples: o paciente experimenta sensações estranhas, como distorções de percepção ou movimentos descontrolados de uma parte do corpo. Ele pode sentir um medo repentino, um desconforto no estômago, ver ou ouvir de maneira diferente.

- Crise parcial complexa: a pessoa perde a consciência.

- Crises tônico-clônicas: o paciente primeiro perde a consciência e cai, ficando com o corpo rígido; depois, as extremidades do corpo tremem e contraem-se.


Por Natália Farah

Comente

Últimas