Cuide bem do seu coração

10 dicas importantes para evitar um infarto

Cuide bem do seu coração  10 dicas importantes par

Alimentação balanceada e prática de atividades físicas diárias é o segredo de um coração saudável. No entanto, o sedentarismo e os maus hábitos alimentares têm sido os grandes responsáveis pelo desenvolvimento de doenças cardiovasculares nos brasileiros. De acordo com o cardiologista e diretor geral do Centro de Cardiologia do Hospital Sírio Libanês, Roberto Kalil, esses não são os únicos vilões dessa história, a má alimentação e o excesso de bebidas alcoólicas também aumentam significativamente a probabilidade do aparecimento de doenças coronárias.

"Atualmente, as doenças coronárias ocupam a segunda posição das causas que mais matam no mundo. A previsão é que, até 2040, ocupará o primeiro lugar desse triste ranking caso não haja mudanças radicais em curto prazo", enfatizou o médico. Dados recentes do Ministério da Saúde mostram que a maioria das mortes por infarto ocorre nas primeiras horas de manifestação da doença - 65% dos óbitos acontecem na primeira hora e 80% até 24 horas após o quadro inicial. Por isso, é importante estar atento aos sinais do organismo.

No entanto, o que poucas pessoas sabem é que grande parte dessas patologias podem ser evitadas com cuidados bastante simples. Segundo o cardiologista Miguel Moretti, da unidade Anália Franco do Hospital São Luiz, quem possui histórico familiar de cardiopatias tem que estar sempre em dia com os exames, como ecocardiograma, teste de esforço, raios-X de tórax, eletrocardiograma e exames de sangue. "Exames regulares podem evitar o aparecimento de um infarto, porque é possível verificar alterações no metabolismo e no colesterol do paciente. Isso já acomete até mesmo jovens devido à má alimentação", explica.

Sem sinais de fácil reconhecimento, às vezes, até mesmo para os médicos é difícil reconhecer os sintomas da doença na hora de identificá-la. Por isso, Moretti lista dez importantes dicas que vão te ajudar a ter uma vida mais saudável.

1 - Siga uma dieta equilibrada - Alimentar-se bem não significa comer muito. É importante que a alimentação contemple frutas, verduras, legumes e carboidratos. Isso reflete no colesterol. Não só quem tem histórico de doenças cardiovasculares na família precisa cuidar da saúde. Uma dieta balanceada auxilia o organismo a equilibrar proteínas e nutrientes. Frituras e carne vermelha devem ser evitadas. O consumo de peixes e de carne de porco é indicado.

2 - Vá ao médico regularmente - Não é só quem tem histórico de doenças cardiovasculares na família que precisa buscar orientação médica. Com exames de rotina é possível analisar os níveis de açúcar e colesterol no organismo.

3 - Fique de olho na sua faixa etária - Apesar de o infarto aparecer em muitas pessoas mais jovens, entre 18 e 40 anos, os idosos ainda são o grupo de maior risco da doença. Geralmente, eles já desenvolveram hipertensão ou diabetes ao longo dos anos, o que dificulta os tratamentos, pois podem essas doenças acarretar lesões nos rins e no coração.

4 - Evite o tabagismo - Esse talvez seja o ponto mais importante. Não adianta fazer o check-up, dieta e exercício e continuar fumando. As substâncias do cigarro destroem o endotélio (camada de proteção das veias) e oxidam as artérias, deixando-as suscetíveis ao contato da gordura do organismo, o que ocasiona a formação de depósito de gordura em locais inadequados.

5 - Atenção com diabéticos e hipertensos - O mais indicado aqui é seguir dietas e tratamentos indicados de acordo com cada patologia. Mas, nesses casos, controlar o peso e o consumo de alimentos gordurosos é o melhor a fazer.

6 - Pratique exercícios - O que tem se notado é que a parcela mais jovem que apresenta níveis altos de colesterol também é sedentária. A prática de atividade física contribui para evitar infartos e diversas outras doenças, tais como hipertensão, diabetes e o sobrepeso.

7 - Consuma gordura saudável - 20% da nossa dieta diária deve ser composta por gorduras, segundo o cardiologista. As saudáveis podem ser encontradas no azeite, no chocolate meio amargo, na castanha-do-pará e também no abacate. São as chamadas gorduras polinsaturadas, de origem vegetal.

8 - Evite o consumo exagerado de bebidas alcoólicas - Apesar de não ter uma ligação direta com os infartos, o consumo de bebidas alcoólicas em excesso, prejudica muito a saúde. Estudos epidemiológicos afirmam que substâncias como o vinho, em pequenas doses, podem ajudar o sistema cardiológico do corpo, uma das explicações está no fato de a bebida funcionar como antioxidante no organismo, produzindo efeitos positivos como a redução do risco de derrames cerebrais.

9 - Alerte seu médico sobre os casos de infarto na família - É importante fazer um acompanhamento mais aprofundado, pois a chance de desenvolver a doença é muito maior.

10 - Abuse da diversão e do entretenimento - Saber administrar o stress emocional é extremamente necessário. Pessoas muito aceleradas e que trabalham demais estão suscetíveis aos infartos. Divirta-se, pois atividades prazerosas liberam a endorfina e equilibram o organismo.

Por Paula Perdiz

Comente

Assuntos relacionados: saúde coração doenças cardíacas infarto

Últimas