Depressão: o que é e como tratar?

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Conheça as maneiras de tratar da depressão nos dias de hoje

Depressão o que é e como tratar

Você passa frequentemente por mudanças de humor, cansaço, perda de apetite, falta de ânimo para a vida, problemas com o sono ou tem pensamentos recorrentes sobre a morte? Pode ser que você esteja de frente com um quadro depressivo. Doença comum atualmente, a depressão acomete cada vez mais pessoas e não é simplesmente um transtorno psicológico.

Vítima de preconceito, ela é uma doença que pode ter uma causa hormonal ou ser resultado de uma disfunção bioquímica. De qualquer modo, na presença de qualquer sintoma é necessário procurar um especialista.

Nosso cérebro é muito sensível a substâncias liberadas em momentos tensos da nossa vida, como o cortisol - relacionado ao estresse. A correria do dia a dia e a falta de tempo que as pessoas têm para cuidar do corpo e mente podem aumentar os níveis desse hormônio, desequilibrar as estruturas cerebrais e estimular sintomas depressivos.

Além dos citados, a pessoa pode ser acometida por uma extrema tristeza e ter todos os setores de sua vida prejudicados. Estudos recentes mostram que a depressão pode se relacionar com problemas como a baixa imunidade, alterações dos batimentos cardíacos e acúmulo de placas de gordura no sangue. Ou seja, pode desencadear e piorar outros setores da saúde.

O tratamento contra essa doença crônica é feito com antidepressivos, psicoterapia e mudanças no estilo de vida. É preciso tomar cuidado, pois os antidepressivos podem desencadear uma série de efeitos colaterais, como disfunção sexual, náuseas, alteração no sono, alergias na pele, tonturas, tremores, perda da libido, entre outros. No aparecimento de qualquer efeito, é preciso consultar o médico e mudar a medicação ou diminuir a dose.

Atitudes simples também podem ajudar a reverter a situação. A pessoa diagnosticada clinicamente como depressiva pode inserir exercícios físicos no seu dia a dia para equilibrar os hormônios. O cortisol abaixa e a serotonina aumenta, regulando o humor, o sono, o apetite, o ritmo cardíaco, entre outros.

Estabelecer uma rotina e definir horários no seu dia ajuda também a sair da depressão. Com mais estrutura, a vida do paciente depressivo pode voltar aos trilhos. Cuidar da alimentação também pode ser um aliado. Especialistas acreditam que alimentos ricos em ômega-3, ácidos graxos e ácido fólico ajudam a aliviar o quadro. Algumas pessoas buscam a acupuntura como tratamento alternativo para a depressão. Com um profissional qualificado, o uso das agulhas nos pontos certos podem trazer resultados promissores, segundo alguns estudos. Técnicas de relaxamento como o yoga, a respiração profunda, o relaxamento muscular progressivo e a meditação também são auxiliares em um tratamento alternativo para esse mal.

Sem comprovação científica, a suplementação com vitaminas é outro tratamento alternativo buscado para depressão. Ervas medicinais como a de São João também são indicadas como alternativas, mas é preciso ter cuidado. Seu uso pode interferir na alimentação ou em outros remédios, como contraceptivos e anticoagulantes. Qualquer terapia escolhida deve ser discutida com um médico.

É importante encarar a depressão como uma doença normal, que pode ser curada e dividida com os familiares. Deixar que as pessoas próximas saibam da situação e das características do quadro ajuda no apoio para que ele termine logo. No aparecimento de qualquer sintoma, converse com um especialista. Quanto mais precocemente a depressão for diagnostica, mais fácil fazer com que esse mal crônico saia da sua vida.

Por Ana Gissoni


  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Assuntos relacionados: depressão

Últimas