Dietas da Moda

Saiba os riscos que uma alimentação restritiva pode trazer à sua saúde

Dietas da Moda

Não tem jeito, por mais que a gente saiba que as atrizes precisam perder peso e transformar seus corpos para se enquadrar em um papel ou outro, muitas vezes o feito de uma celebridade pode instigar algumas mulheres a traçarem o mesmo caminho. A consequência disso é a constante procura por uma dieta que elimine medidas quase que instantaneamente, o que não é verdade.

Ok, pode até ser que aderir a uma ou outra dieta realmente mande embora todos os quilinhos extras que queria, mas como será que ficou a sua saúde ou, pior do que isso, será que você conseguirá manter o peso?

O último burburinho nessa área vem de Hollywood e coloca Anne Hathaway sob os holofotes, já que para encarar a personagem Fantine, na adaptação cinematográfica do musical Les Misérables, a bela foi obrigada a encarar uma dieta super restritiva que limita sua ingestão diária de comida a apenas 500 calorias, ao invés das 2 mil que consumia antes.

Tudo bem que o esforço é temporário, mas o exemplo não vale para as reles mortais. Para quem quer emagrecer, basta pesquisar na internet ou olhar as revistas femininas para saber que existem todos os tipos imagináveis de dietas e, entre elas, há as que de fato propiciam o emagrecimento saudável, enquanto outras não contam com qualquer embasamento médico ou científico.

Segundo a nutricionista Alessandra Rocha, antes de mais nada as pessoas precisam entender que o termo ‘dieta’, vem do latim "dietare" e refere-se aos hábitos alimentares e ao estilo de vida de uma pessoa. Ou seja, não tem nada a ver com restrição alimentar. Se você não vê a hora de emagrecer, escolher uma das ‘dietas da moda’ é bastante tentador.

No entanto, é importante lembrar que a maioria desses programas pecam pela desatenção ao conteúdo nutricional pois restringem a alimentação de forma drástica, enquanto permitem exageros na ingestão de determinados tipos de alimentos, o que pode se transformar em um verdadeiro perigo para a saúde. "O ponto mais importante na hora de escolher uma dieta é saber que nenhum alimento faz milagres por si só. Cada um tem suas propriedades e é necessária a harmonização dos mesmos", afirma a especialista.

O autoconhecimento e a disciplina são fatores fundamentais para os resultados de uma dieta. As pessoas precisam entender que o processo de engordar ou emagrecer não acontece de súbito, mas sim lentamente. Então, criar metas rígidas de emagrecimento, com o desejo de perder 10 ou 15 quilos em poucas semanas, pode ser listado como um dos principais fatores que impedem os resultados positivos. "Dietas radicais não oferecem o mínimo de nutrientes necessários por dia e a pessoa ainda perde água (fica desidratada) e músculos (perde massa magra, que ninguém quer perder)", explica.

A alimentação saudável fornece os nutrientes necessários para o organismo. Dietas por demais restritivas tendem a sobrecarregar órgãos como o fígado e os rins e também podem ocasionar carência nutricional - o que aumenta a predisposição à anemia, osteoporose ou outras doenças, sem contar com o lado emocional que também é bastante abalado com o corte ou redução de certos alimentos.

Apesar da disciplina ser essencial, é praticamente impossível fazer uma dieta e não cair na tentação dos docinhos ou outros alimentos considerados 'vilões do emagrecimento' e dá a dica: "planejamento é essencial para prevenir abusos, por exemplo: se a pessoa gosta muito de sorvete, ela deve se permitir uma taça aos domingos. Ao matar a vontade, ela se antecipa e previne um possível abuso alimentar decorrente da vontade de saciar seu desejo por doces. Apostar em alimentos ricos em fibras e com boa quantidade de água, para ter maior saciedade, assim como consumir folhas e verduras antes das refeições também ajudam a diminuir o apetite", conclui Alessandra.

Por Paula Perdiz

Comente

Assuntos relacionados: emagrecer dieta

Últimas