Doenças cardiovasculares: dá para prevenir?

Praticar exercícios ajuda a cuidar do coração

Doenças cardiovasculares dá para prevenir

Com o coração não se brinca. E quem está atento aos números divulgados pelos órgãos oficiais de saúde ou conhece alguém que já foi vítima de problemas cardiovasculares sabe muito bem a importância de se adotar hábito saudáveis para manter a saúde em ordem.

Durante o 3º Brasil Prevent, que aconteceu no Rio de Janeiro entre novembro e dezembro de 2012, os dados divulgados foram alarmantes. De acordo com o Ministério da Saúde, da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) e da Organização Mundial da Saúde (OMS), as doenças cardiovasculares matam 17 milhões de pessoas por ano no mundo.

Sem uma mudança imediata esse número tende a aumentar ano a ano. "São doenças coronárias o infarto do miocárdio e hipertensão arterial sistêmica. Esta ocasionou 500 mil mortes no Brasil, no ano passado. É a segunda causa de morte depois do AVC (Acidente Vascular Cerebral)", alerta o médico cardiologista Américo Tângari Junior, integrante da equipe de Cardiologia Cirúrgica do Hospital Beneficência Portuguesa.

Até alguns anos, quando se falava em doenças cardiovasculares, associávamos as mesmas aos homens. É fato de que eles ainda sofrem mais com o problema - segundo Dr. Américo a proporção é de dois para um - mas, ultimamente, o índice em mulheres tem aumentado, provavelmente devido ao aumento de atividades estressantes.

"Os fatores de risco para as doenças cardiovasculares são genética ou tendência familiar, aumento dos níveis de colesterol, hipertensão arterial, diabetes, tabagismo, obesidade abdominal e menopausa", enumera o cardiologista. Por isso, uma das regras básicas para prevenir doenças do coração é consultar regularmente um médico cardiologista.

Outra medida aconselhada pelo Dr. Tângari Junior é cuidar da alimentação. "Uma dieta saudável é regra para todos, sem contar que pode beneficiar as pessoas que apresentam taxas de gordura acima do normal e obesidade, principalmente abdominal, Evite gorduras e excesso de sal na alimentação e consuma vegetais e carnes brancas."

Exercícios físicos também são muito bem-vindos. Os mais indicados para quem deseja cuidar do coração são os aeróbicos, como caminhada, natação e ciclo ergométrico (bicicleta, bicicleta parada e elípticos. "Para quem já sofreu com a doença, os exercícios e a dietas são os mesmos, porém deve-se levar em consideração os limites das sequelas da doença", orienta o médico.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente

Últimas