Dores nas costas merecem atenção

Dores nas costas merecem atenção

Boa postura ou má postura? Adotar a primeira atitude com disciplina pode significar uma vida melhor, sem dores nas costas.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 80% da população ainda irá sofrer do mal pelo menos em alguma fase da vida. Ou seja, em maior ou menor grau, um dia quase todos serão vítimas desse incômodo que compromete a qualidade de vida sob diversos aspectos, entre eles físicos, emocionais e até sociais.

A principal vilã é a lombalgia, um desconforto que afeta a região inferior da coluna vertebral (que vai da última costela até o início dos glúteos) e aparece em destaque no ranking das reclamações nos consultórios.

Qualquer sinal de dor nas costas merece atenção. No entanto, os cuidados devem ser redobrados em duas situações. Primeiro, se as dores vêm acompanhadas do que os médicos chamam de sinais de alerta, como febre ou perda de peso. "Nesses casos, o desconforto indica a presença de algo mais grave - desde má-formação congênita, osteoporose e tumores até hérnia de disco, cálculos renais e distúrbios neurológicos. Portanto, o tratamento varia de acordo com a causa diagnosticada", explica Alexandre Fogaça Cristante, especialista em cirurgia de coluna da Clínica Ortocity.

Outra situação preocupante é quando não há uma razão aparente para o incômodo. "Trata- se da lombalgia mecânico-postural. Os pacientes com este perfil tentam buscar uma razão 'física' para suas lamentações e não encontram nada. Isso porque as dores não estão relacionadas a desvios [hiper-lordose, hiper-cifose e escoliose] ou a algum tipo de lesão na coluna, mas a vícios de postura que a deixam sobrecarregada constantemente", esclarece Cristante.

Quando se fala de dor nas costas, convém lembrar que outras doenças também colaboram para causar a dor. "Estão nessa lista as infecções urinárias, as infecções pulmonares, o infarto do miocárdio, o herpes zoster [viral com comprometimento do nervo intercostal] e os tumores ovarianos e prostáticos", afirma o especialista.

Maus hábitos

Posturas incorretas também são responsáveis por distúrbios articulares. "Quem sofre de dor nas costas não se senta nem se levanta corretamente, não dorme em colchão adequado ao seu peso, levanta objetos do chão dobrando a coluna e não os joelhos, estica-se todo para colocar os objetos em prateleiras ou em armários e executa tarefas diárias [passar roupas, varrer a casa, lavar o quintal] em má posição", diz Cristante.

Obesidade

Segundo o médico, a cada dia a população se cuida menos (do ponto de vista físico), o que causa obesidade. "O excesso de peso e outras alterações musculares levam a pessoa à sobrecarga dos discos intervertebrais".

Stress e Depressão

Ambos levam à contratura muscular importante. "A depressão não permite o relaxamento voluntário dos músculos levando a compressões importantes nas raízes nervosas que emergem da coluna vertebral", explica o cirurgião.

Tratamento

O tratamento é dividido em duas fases. "Na fase da dor aguda, o médico vai receitar analgésicos e antiinflamatórios, fisioterapia convencional e outros métodos. Depois, é recomendável que o paciente se submeta a tratamento mais prolongado que pode incluir a Reorientação Postural Global (RPG), hidroterapia, condicionamento físico, ajuda de um nutricionista e também de um psicólogo", aconselha Cristante.

Clinica Ortocity

(11) 2117-5500

Comente

Últimas