Entenda as diferenças entre o glaucoma crônico e o agudo

O mais comum em 80% dos casos é o crônico, que pode ter caráter hereditário

Entenda as diferenças entre o glaucoma crônico e o

O glaucoma é uma doença crônica, assintomática, ou seja, não traz sintomas aos pacientes e deve ser tratado o quanto antes. Há pelo menos dois tipos de glaucoma, o crônico de ângulo aberto e o agudo, de ângulo fechado.

O glaucoma de ângulo aberto (crônico) é o tipo mais comum e atinge cerca de 80% das pessoas e não apresenta sintomas no início. No entanto, se não for tratado precocemente, o paciente pode perder totalmente a visão com o passar dos anos.

A causa ainda é desconhecida pela medicina, mas sabe-se que há um aumento na pressão ocular que se desenvolve lentamente com o passar do tempo. A pressão empurra o nervo óptico e a retina para trás do olho.

Pode ser um caso hereditário e os riscos à predisposição aumentam caso haja um pai ou avó com este tipo de glaucoma. Afro-descendentes têm maior predisposição para a doença.

A maioria das pessoas com o glaucoma de ângulo aberto pode ser submetida a um tratamento bem-sucedido com colírios. A maioria dos medicamentos usados atualmente possui poucos efeitos colaterais, em comparação aos do passado. Pode ser necessário mais de um tipo de colírio e alguns pacientes podem ser tratados com pílulas para baixar a pressão ocular. Novas pílulas e colírios vêm sendo desenvolvidos para proteger o nervo óptico dos danos do glaucoma.

Alguns pacientes podem precisar de outras formas de tratamento, como a laser para auxiliar na desobstrução da circulação do humor aquoso. Esse procedimento é geralmente indolor. Outros pacientes podem precisar de cirurgia tradicional para abrir um novo canal para o humor aquoso.

Já o glaucoma agudo ou de ângulo fechado, como também é chamado, pode ser considerado um caso de emergência clínica. Quem já teve glaucoma agudo em um olho, há um grande risco de que o outro olho seja afetado, e o médico provavelmente recomendará tratamento preventivo.

Pessoas com esse tipo de glaucoma apresentam aumento súbito da pressão ocular e os sintomas incluem dor intensa e náusea, assim como vermelhidão ocular e visão embaçada.

Nesse caso, um olho normal sofre aumento grande e repentino da pressão intraocular. Sem tratamento, o paciente pode ficar cego em apenas um ou dois dias.

Por ser um problema mais grave, que leva à cegueira, o uso de colírios, pílulas e medicamento intravenoso são utilizados para baixar a pressão. Alguns pacientes ainda precisam ser submetidos a uma operação de emergência, chamada de iridotomia, procedimento que usa um laser para abrir um novo canal na íris. Esse novo canal alivia a pressão e previne um novo ataque.

Como não há como prevenir um glaucoma de ângulo aberto, por exemplo, a prevenção continua o melhor caminho no combate à doença. Todos acima dos 40 anos devem passar um exame óptico pelo menos uma vez a cada 5 anos, ou com mais frequência se fizerem parte do grupo de risco. Os grupos de risco incluem pessoas com histórico familiar de glaucoma de ângulo aberto e afro-descendentes.

Natália Farah


Comente

Últimas