Equipe multidisciplinar soma benefícios a pacientes com DPOC

O acompanhamento multidisciplinar dá mais qualidade de vida aos portadores da doença

Equipe multidisciplinar soma benefícios a paciente

Apesar de grave, a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) deve ser observada com atenção por profissionais qualificados e controlada com a ajuda de uma equipe multidisciplinar, que envolve médicos, psicólogos, nutricionistas e fisioterapeutas. O objetivo é dar mais qualidade de vida aos pacientes que sofrem com a obstrução crônica das vias aéreas, que dificulta a passagem do ar.

Veja de que forma cada um dos profissionais pode auxiliar:

Médico: Os principais sintomas da DPOC consistem em falta de ar, tosse e produção de catarro - com ou sem chiado no peito - e muito mais comum em fumantes e ex-fumantes. O diagnóstico só vai ser confirmado na presença de um médico, especialmente pneumologistas, que avaliam o histórico clínico do paciente, realizam a espirometria, que mede a capacidade respiratória, e ainda solicitam exames físicos.

Psicólogo: Por ser uma doença agressiva e em alguns momentos cansativa para o paciente, sessões de psicoterapia em programas de reabilitação pulmonar costumam aliviar os níveis de ansiedade e até de depressão causadas pelas limitações da doença. O acompanhamento de psicólogos no tratamento dos portadores de DPOC influi diretamente na melhoria da capacidade de realizar exercícios físicos e na qualidade de vida dos pacientes.

Nutricionista: O baixo peso manifesta-se em boa parte de pacientes com DPOC, mais propícios a se tornarem desnutridos. Estudos revelam que cerca de 35% a 50% dos portadores estão nesse grupo. Daí a importância da presença de um médico ou nutricionista, profissionais aptos a orientarem os pacientes a terem uma alimentação saudável, rica em carboidratos, proteínas, gorduras e micronutrientes. Fora que são os únicos que podem receitar suplementos alimentares caso seja necessário.

Fisioterapeuta: A fisioterapia traz benefícios aos portadores de DPOC, com pequenos exercícios que ajudam a melhorar a respiração e a postura, prevenir o acúmulo de secreções e relaxar os músculos. E quanto mais precocemente o tratamento iniciar, mais bem sucedido será o comportamento funcional da pessoa. Sempre com acompanhamento de um fisioterapeuta são indicados exercícios de tosse, movimentos para os membros inferiores e superiores do corpo, com atividades associadas ao ciclo respiratório, drenagem postural de todos os segmentos pulmonares e técnicas de percussão torácica. Os exercícios mostram que por meio da fisioterapia é possível reeducar a postura, músculos inspiratórios e expiratórios e dar maior independência ao paciente.


Por Natália Farah

Comente

Últimas