Ergonomia, bem-estar no trabalho!

Ergonomia bemestar no trabalho

Pequenos detalhes no escritório podem fazer toda a diferença para a sua saúde. Postura, conforto visual, altura da cadeira em relação ao chão, tamanho do encosto da cadeira, punho neutro ao computador, pés bem apoiados no chão, etc. Tudo é importante para prevenir problemas na coluna, lesões por esforço repetitivo e outros males.

A ergonomia no trabalho existe para isso, adaptar o ambiente para o empregado com o objetivo de promover a saúde e evitar problemas físicos e psicológicos. De acordo com a fisioterapeuta Paula Meira, o monitor do computador, por exemplo, deve ficar entre 45 e 70 centímetros de distância da pessoa e a altura precisa ser regulada até sua linha de visão. Assim, ela não irá tensionar ou comprimir a coluna para enxergar a tela.

O teclado tem de ser mantido a uma distância em que se possa apoiar o antebraço e o punho. "Na hora de digitar, é preciso tentar fazer o uso de todos os dedos e das duas mãos, para não sobrecarregar nada", diz a fisioterapeuta.

Para o mouse, é necessário o mesmo apoio que o do teclado e seu movimento deve ser realizado com a mão e o antebraço. "O movimento deve ocorrer como um todo, sem o desvio lateral do punho. Isso prejudica e causa compressão dos nervos", explica Paula.

A altura da cadeira deve se basear nas pernas e nos braços. É recomendável que o joelho fique flexionado em 90 graus para não comprimir as veias, os pés sejam mantidos 100% no chão e os braços também permaneçam a 90 graus, se estiverem apoiados na mesa. "Pessoas com menos de 1,65m precisam fazer uso de apoio para os pés, para neutralizar a posição das pernas", acrescenta a especialista.

Para a inclinação da cadeira, a fisioterapeuta dá a dica. "Imagine uma cadeira de ônibus com o encosto um pouco mais para trás. Esse encosto deve ficar na altura do peito. Com isso, é possível ter maior estabilidade para a musculatura do pescoço e da coluna", finaliza a especialista.

Comente

Últimas