Fique apenas com as marcas boas do verão

marcas do verão

O verão é a estação mais esperada do ano, muito sol, praia e piscina. O único problema são os danos que os excessos podem causar à nossa saúde. Muito tempo de exposição ao sol, sem os devidos cuidados, pode resultar em queimaduras ou doenças de pele.

Por isso, é preciso tomar alguns cuidados para ficar somente com a parte boa do verão.

Maquiagem, perfumes ou outros tipos de cosméticos, por exemplo, contém substâncias que ao entrar em contato com os raios solares pode desencadear reações alérgicas. Inclusive, picadas de mosquitos devem ser evitadas afastando o inseto, por meio de mosqueteiros, é o que afirma a dermatologista Adriana Cristina Caldas, integrante da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica.

Entre as doenças de pele mais comuns do verão estão micoses, acne solar, fitofotodermatose (queimadura provocada por ácido de frutas), pano branco, brotoejas, bicho geográfico e herpes labial. Temos que prevenir, algumas delas podem lhe acompanhar além do verão.

A doutora Adriana Cristina criou um guia onde explica como agem estas doenças, como precaver e tratá-las, além de dicas para curtir o verão ao máximo. A mais importante diz respeito a automedicação: "Durante suas férias, caso haja alguma alergia ou queimadura, procure um médico o mais rápido possível. Jamais utilize substâncias estranhas como óleo de cozinha, borra de café, cremes e pomadas disponíveis indicadas por um amigo, vizinho ou pelo balconista da farmácia. Essas atitudes só agravam a doença de pele", recomenda.

Queimadura é a lesão na pele mais comum no verão. Em dias muito quentes dê preferência a locais cobertos, onde possa se abrigar dos raios, use sempre chapéus e óculos escuros de qualidade. "Em caso de queimadura, não passe nenhuma pomada ou creme sobre a área afetada. Deixe a área queimada exposta, mas protegida do sol. Se formar bolhas, não estoure as bolhas. Procure um posto médico para mais orientações", ensina.

O uso de protetor solar também evita o aparecimento de acne solar, esta lesão é caracterizada pela formação de bolinhas duras e cheias de pus. Micose é outra doença comum nesta época. "No caso de aparecimento de lesão, isolar a toalha utilizada e secar sem esfregar, pressionando o local. Procure um médico de imediato, caso contrário a lesão progredirá com aumento das lesões e mais sintomas", afirma a especialista. Micose se apresenta como manchas vermelhas, normalmente na região da virilha, a pele tende a ficar descamativa.

Muita gente não dispensa os petiscos vendidos na praia, peixes ou qualquer outro fruto do mar sempre com bastante limão. As frutas cítricas escondem um grande perigo, elas contêm um ácido que ao entrar em contato com o sol queima a pele. As lesões mais graves podem provocar bolhas. Também é na boca que o herpes aparece, mais uma vez o sol pode ser o desencadeador da doença. "Lave sempre bem as mãos após encostar na herpes para não espalhar a doença em outras mucosas como dos olhos, boca ou genitais. E procure ajuda médica", recomenda a dermatologista.

Antes de viajar é sempre bom fazer um check-up, doenças como pitiríase - conhecida como pano branco - ficam camufladas no corpo, só aparecem quando a pessoa se expõe ao sol. "O fungo que causa a pitiríase existe na pele normal, mas em algumas pessoas, causa doença. Em geral, as manchas são mais frequentes no rosto e na região do peito", explica Adriana Caldas. A pele atacada por pano branco não se bronzeia por igual, as regiões afetadas permanecem claras.

Outra doença que se esconde na sombra e de nome complicado é a Pitiríase Alba. A dermatologista esclarece que o problema aparece em pessoas que têm outras doenças como bronquite, asma e rinite alérgica. Assim como a pano branco, a Pitiríase Alba não permite que a pele se bronzeie por igual, por isto muitas vezes as doenças são confundidas. Adriana Caldas ressalta a diferença entre elas: "As manchas brancas que se formam também são descamativas e aparecem na região do rosto, de limites imprecisos e muitas vezes com um aspecto pontilhado".

O sol e a água do mar e da piscina deixam a pele mais ressecada e propensa a doenças, por isto é preciso hidratá-las com frequência. É importante lembrar que sol, em excesso e em hora errada, prejudica a pele em qualquer local não só na praia. "Evitar o sol das 10 às 16 horas e usar roupas leves e que protejam o corpo como calças e camisas de manga longa e mais folgadas dão uma sensação mais arejada ao corpo e são atitudes mais indicadas e ideais para serem adotadas na rotina diária", completa Adriana Caldas.

Comente

Últimas