Fitoterápicos funcionam?

Mitos e verdades da fitoterapia

Fitoterápicos funcionam

Fitoterapia, nada mais é que uma ciência que usa, exclusivamente, vegetais para tratar e recuperar os desequilíbrios da saúde. Quando usadas corretamente, podem ajudar no funcionamento do corpo. Os medicamentos fitoterápicos, em sua grande maioria, são comercializados em diferentes formas farmacêuticas, como óleos, cápsulas e extratos concentrados.

De acordo com a Legislação Sanitária Brasileira a eficácia e segurança do fitoterápico são validadas por meio de levantamentos etnofarmacológicos, de utilização, documentações tecnocientíficas ou evidências clínicas.

O técnico em Química Industrial, Heitor Falcão, fala um pouco mais desses medicamentos: "Os remédios naturais têm vantagens e desvantagens, bem como os produzidos industrialmente, pois nas plantas o principio ativo não está concentrado como nas pílulas. Porém, por partir de fontes naturais, elas têm uma característica menos agressiva."

Como tudo na vida não pode ser usufruído, com os medicamentos naturais não é diferente, conta Heitor: "Há contraindicações. Essas podem ter uma explicação muito simples: intolerância ou alergia, além da necessidade que o paciente tem. Se a pessoa precisar de uma dose maior do princípio ativo da planta, ela deve procurar um médico que indique um remédio mais apropriado, pois deve levar em consideração que há outros componentes nessas plantas que podem causar efeitos adversos."

Há vários medicamentos naturais que podem minimizar diferentes problemas e doenças. Por exemplo, se uma pessoa tem insônia, ela pode tomar um simples chá de raiz da Valeriana, que tem um efeito calmante e relaxante, sendo utilizada como matéria-prima para inúmeros medicamentos indicados para quem sofre desse problema.

Mito ou verdade? O químico Heitor Pires responde

É verdade que as plantas medicinais são medicamentos?

Não é totalmente mito, nem totalmente verdade. Há uma diferença entre a planta in natura e seu uso na produção de medicamentos. Muitas plantas são usadas na produção de medicamentos, como no caso da raiz de Valeriana, porém isso não significa dizer que você não precise submetê-la a um processo para extrair e/ou concentrar o princípio ativo.

Fitoterapia é uma medicina para pessoas pobres?

Mito. Pode até se tratar de uma forma mais barata de tratamento e/ou prevenção, porém, a fitoterapia é mais difundida nas áreas urbanas, entre as pessoas mais esclarecidas e entre a classe média e alta.

Receitas caseiras são fitoterápicas?

Parcialmente verdade. As receitas tradicionalmente caseiras estão sendo, cada vez mais, fruto de pesquisas em laboratórios farmacêuticos, a fim de se isolar o princípio ativo das plantas para produzir similares mais concentrados na forma de pílulas.

Certos problemas de saúde podem ser resolvidos apenas com o uso de fitoterápicos?

Verdade. Problemas de saúde de nível menos grave podem ser resolvidos, sim, apenas com o uso de fitoterápicos. No caso de problemas de saúde que exijam tratamentos mais criteriosos, o médico ainda pode usar os fitoterápicos como um auxiliar, ou não, pois alguns dos componentes das plantas podem inibir um componente do medicamento prescrito pelo médico ou até causar efeitos adversos.

Fitoterápicos são medicamentos mais fracos porque são feitos à base de plantas?

Verdade. Levando-se em conta que as pílulas e preparações farmacêuticas são fórmulas concentradas e, geralmente, as preparações fitoterápicas (como chás, infusões e decocções) são extrações mais diluídas, fica claro que se o paciente necessita de uma dose maior, tomar o medicamento fitoterápico não só não resolveria seu problema, como poderia até causar resistência à doença.


Thaís Santos (MBPress)

Comente

Últimas