Hormônio PYY 3-36 ajuda cortar calorias de refeição

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Hormônio PYY 336 ajuda cortar calorias de refeição

O Hormônio PYY 3-36 é produzido no cólon (os dois terços finais do intestino grosso), e que, em quantidades adequadas age no hipotálamo (região do cérebro que controla a sensação da saciedade) e reduz em um terço a ingestão de calorias de uma refeição.

Para sua comprovação, foi feita uma experiência injetando o hormônio nas pessoas e em seguidas foram submetidas a comer o que quisessem em um bufê completo. As que receberam o hormônio comeram 33% menos que as que não receberam o hormônio. Os cientistas notaram que a duração do hormônio é de apenas 12 horas, ou seja, é preciso receber uma dose a cada 12 horas.

O cientista e endocrinologista inglês, autor do experimento, Stephen Bloom alerta que podem acontecer efeitos colaterais ainda desconhecidos pelo fato do hormônio entrar no organismo de forma diferente da normal. Esses efeitos ainda demoram a ser conhecidos. É lógico que a notícia é auspiciosa e esperamos que possa trazer benefícios no futuro, enquanto isso, vamos trabalhar com o que temos de concreto.

O que percebi no meu emagrecimento é que, controlando a quantidade de alimentos ingeridos e evitando a ingestão de qualquer tipo de líquido nas principais refeições, nosso estômago se dilata menos voltando ao seu tamanho natural e enviando a mensagem ao hipotálamo a sensação de saciedade. Em pouco tempo nós podemos conseguir esse efeito de saciedade.

O hipotálamo é responsável pelas funções vegetativas do organismo, através do abastecimento do sistema endócrino (regula a liberação de hormônios), coordenando a fome, o apetite, a saciedade, o desejo sexual, o controle da pressão sanguínea, a sede, o controle da quantidade de água do corpo, o relógio biológico etc. Poderíamos comparar o hipotálamo a um posto de gasolina, por controlar o abastecimento de hormônios, e a uma central de CPD, por ser um centro de convergência de informações relacionadas ao bem estar do organismo.

Como seus núcleos são muito próximos e superpostos uns dos outros e mal delimitados, algumas reações podem ser confundidas. Exemplo: estar com fome, se beber água a fome passará. O mesmo poderá acontecer com o desejo sexual, se ingerir algum alimento o desejo passará.

A parte prática desse conhecimento nos ajuda no emagrecimento. Quem estiver com algum conflito emocional, procure resolve-lo de forma adequada e o quanto antes, para não cair na armadilha de comer algo para compensá-lo.

Quem tiver um problema de relacionamento conjugal, com os filhos, no trabalho ou qualquer outro, procure resolvê-lo. Senão poderá encontrar no chocolate, nos salgadinhos, nos cafezinhos, nos refrigerantes e nas comidas em geral, a compensação. O resultado imediato é o afastamento momentâneo do problema. Mas, em longo prazo, o problema original é somado a obesidade. Problema adiado é problema aumentado.

Uma outra sugestão para esses impulsos de comer por compensação é desviar dos alimentos para uma atividade muscular, exemplo caminhar. É substituir o alimento (geralmente calórico) para uma atividade física, ou em último caso para um alimento menos calórico como uma barra de cereais light. Nossa mente aceita substituição, mas não aceita retirada.

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas