Mitos e verdades sobre a vasectomia

Mitos e verdades sobre a vasectomia

Fundamental quando o assunto é planejamento familiar, a vasectomia é um método contraceptivo em que os homens passam por intervenção cirúrgica, fazendo com que os espermatozóides não sejam transportados com o sêmen para dentro do corpo da mulher, numa relação sexual. O que parece (e é) simples assim, ainda gera muitas dúvidas na cabeça dos homens e suas mulheres, principalmente com relação à impotência sexual.

Medos como esse são gerados por pura desinformação.

Desmistificar a vasectomia é importante para que casais também tenham essa opção na hora de decidir o futuro em família. O urologista Oskar Kaufmann, especialista em cirurgia robótica e integrante do corpo clínico do Hospital Albert Einstein, garante que o processo é simples - principalmente se comparado ao ligamento das trompas realizado nas mulheres - e derruba mitos.

Ele explica que a cirurgia corta os canais deferentes, que transportam o esperma dos testículos para a uretra. As duas extremidades são seccionadas e, então, amarradas. "Com a interrupção dos dutos deferentes, o sêmen fica sem espermatozóides", conta.

Oskar diz que a vasectomia significa a esterilização definitiva do homem, mas pode ser revertida, em função das evoluções da medicina. Nos Estados Unidos, aproximadamente 600 mil homens fazem o procedimento todo ano e 5% deles retornam em busca de uma vasovasostomia, que é a reversão. "As razões por trás dessa mudança de ideia variam, mas são comuns em casos de novo casamento, morte de um filho ou melhora da situação financeira".

O maior mito talvez relacionado à vasectomia seja de que homens submetidos a esse tipo de tratamento perderão a sua masculinidade. Oskar garante que não existe relação alguma entre a vasectomia e potência e/ou desempenho sexual do indivíduo e nem perda de libido. "O homem precisa saber que grande parte do liquido seminal ejaculado vem das vesículas seminais e não dos ductos deferentes. Ou seja, praticamente não ocorrerá mudança na quantidade de líquido ejaculado". Não há qualquer relação ainda entre a vasectomia e dores no pênis ao transar.

Muitos homens pensam também que a vasectomia é um processo de castração e o órgão sexual masculino é mutilado, o que não passa de outro mito. "A vasectomia é uma operação que se faz geralmente com anestesia local, onde são feitos dois cortes muito pequenos no escroto (e não no pênis), que são no final fechados com pontos. Como o pênis não participa do procedimento, ou seja, a cirurgia não envolve esse órgão, não há risco de qualquer tipo de mutilação, alteração no tamanho ou na sensibilidade", finaliza.

Comente

Últimas