Mitos e verdades sobre diabetes

Magros e jovens também podem desenvolver a doença

Mitos e verdades sobre diabetes

Não tem jeito. A vida moderna traz cada vez mais complicações sérias para a nossa saúde. O diabetes, por exemplo, deixou de ter apenas origem genética. Hoje, o estilo de vida e a má alimentação contribuem para a proliferação da doença.

Só no Brasil, estima-se que o número de portadores deverá subir dos 13,4 milhões atuais para 19,6 milhões em 2030. O crescimento deve ser de 58% em apenas 20 anos, de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde). O País é o quarto em número de diabéticos no mundo, só perde para China, Índia e Estados Unidos.

E esqueça essa história de que o diabetes está ligado aos mais velhos e gordinhos. Magros cada vez mais jovens também tem tendência de desenvolver a doença, sabia? Caso não tratado, pode ainda trazer sérios riscos à saúde, como enfraquecimento dos ossos.

Diabetes tipo 2 se restringe aos mais velhos?

Muitos acham que o tipo 2 está restrito aos mais maduros — tanto assim que já foi chamado de senil — e que só o tipo 1 daria as caras desde a infância. Isso não é verdade. Devido à má alimentação e ao sedentarismo, o tipo 2 também vem sendo flagrado em crianças. É por essas e por outras que os médicos suplicam aos pais para estimular seus filhos a praticar exercícios físicos e a comer de maneira equilibrada. Essa combinação de atitudes saudáveis ajuda a evitar a obesidade, um dos principais desencadeadores do mal na infância.

O diabete tipo 2 não tem só a ver com maus hábitos

A doença não se restringe a má alimentação. O diabetes se manifesta de duas formas. O chamado tipo 1 está relacionado à incapacidade do pâncreas de produzir um hormônio, a insulina, que tem a missão de colocar a glicose para dentro das células. Essa deficiência costuma ser causada pelas próprias defesas do organismo.

No diabético do tipo 2 — que representa 90% dos casos —, as membranas celulares resistem à entrada do açúcar, exigindo uma maior produção de insulina. Aí o pâncreas se sobrecarrega e, após um tempo, entra em colapso. Esse quadro é provocado na maioria das vezes pela dupla ‘obesidade e sedentarismo’, que tem tudo a ver com maus hábitos. Já a tendência genética pesa mais no tipo 2.

Diabetes também se manifesta em quem é magro?

Diabetes não é só coisa de gente obesa. No tipo 2, a obesidade é um componente central e a alimentação desbalanceada é, por si só, um risco. Outra coisa a levar em consideração são os esportes. Pessoas magras podem desenvolver o distúrbio só por serem sedentárias.

A gordura também é culpada?

Isso é indiscutível. O açúcar deixou de ser o único vilão do diabetes. Com ele, a gordura vem levando a culpa. Não que deva ser excluída do cardápio, ao contrário, mas o excedente gorduroso é o perigo e vai parar no abdômen formando a famosa barriga de chope, que, além de ser um atentado contra a estética, passa a produzir substâncias perigosas para quem se tornou ou corre o risco de se tornar refém desse estorvo.

Enfraquece os ossos?

Sabia disso? Os diabéticos têm uma ligeira tendência a ficar com o esqueleto frágil. Especialistas explicam que quando há descontrole na doença, há uma diminuição da chegada de cálcio aos ossos. Os médicos não sabem bem o porquê, mas acredita-se que a deficiência de insulina esteja envolvida nesse fenômeno. Afinal, esse hormônio participa da construção de vários tecidos do corpo, como os músculos e, claro, a ossatura.

Natália Farah


Comente

Assuntos relacionados: saúde diabetes doenças mitos e verdades

Últimas