Mitos e verdades sobre pressão alta

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Menos de 10% dos hipertensos encontram uma causa curável para a doença

Mitos e verdades sobre pressão alta

As mulheres sofrem mais de hipertensão arterial. Verdade ou mentira? E os hipertensos, podem ou não praticar atividade física? Quando o assunto é hipertensão, ou a famosa ‘pressão alta’, as dúvidas são muitas e os especialistas, taxativos, consideram a doença uma inimiga lenta e silenciosa.

Por isso quem se enquadra no grupo de risco, pessoas que ingerem alimentos com muito sal, fumam, têm excesso de peso, diabetes, sedentários, alterações nos níveis de colesterol e triglicérides ou casos na família precisam controlar frequentemente a pressão.

Como a informação ainda é a melhor maneira de conhecer mais sobre a enfermidade e buscar auxílio médico, listamos cinco mitos e verdades a respeito da pressão alta.

1. Dor de cabeça é sinônimo de pressão alta.

Mito: A hipertensão é assintomática, ou seja, não tem sintoma. Por isso os médicos consideram a doença silenciosa e inimiga. Sintomas como dor de cabeça, mal-estar, tonturas e sangramento nasal não são bons sinais da presença de pressão alta.

2. A pressão arterial varia de pessoa para pessoa.

Mito: Independentemente do sexo, idade, peso ou altura a pressão arterial recomendada varia de 120/80 e 130/85. Acima desse valor considera-se hipertensão.

3. Mulheres sofrem mais de hipertensão do que os homens.

Verdade: Os índices delas, no geral, superaram o público masculino em todas as faixas etárias. As razões estão no moderno estilo de vida adotado por elas, que cuidam dos filhos e conciliam jornada dupla entre o trabalho fora de casa e os afazeres domésticos.

4. A hipertensão arterial tem cura.

Mito: Menos de 10% dos hipertensos encontram uma causa curável para a doença. Na maioria das pessoas, a hipertensão arterial é uma doença causada por diversos fatores, que atuam de uma forma conjunta e complexa. O avançar da idade, raça, estresse psicossocial, história familiar, excesso de peso, sedentarismo, ingestão excessiva de sal, entre outros fatores estão envolvidos na origem da doença.

5. Pressão alta ou mínima aumenta com o avanço da idade.

Mito: Em idosos, é comum haver elevação da pressão arterial máxima (hipertensão arterial sistólica isolada). Tanto para adultos como para idosos, uma pressão arterial sistólica maior ou igual a 140 mmhg é considerada sempre elevada. Nesse grupo, a pressão arterial sistólica é a mais indicativa do desenvolvimento de complicações cardiovasculares, como o derrame cerebral, infarto do miocárdio e a insuficiência cardíaca.


Por Natália Farah

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas