Ovários Policísticos

Ovários Policísticos

Uma em cada cinco mulheres em idade reprodutiva sofre com os sintomas da Síndrome de Ovários Policísticos. Caracterizada por um distúrbio que interfere no processo normal de ovulação, ela é ocasionada pelo desequilíbrio hormonal da mulher.

A formação de cistos durante a ovulação faz parte do funcionamento dos ovários, mas a cada ciclo menstrual eles tendem a desaparecer. Já nas portadoras da Síndrome de Ovários Policísticos, esses cistos permanecem e modificam a estrutura dos ovários, tornando-os até três vezes mais largos do que o normal.

Essa disfunção pode levar à secreção de hormônios masculinos (androgênios) em excesso. Nestes casos, as mulheres ovulam com menor freqüência e geralmente têm ciclos menstruais irregulares. Isso influencia na saúde reprodutiva e pode causar até infertilidade.

"Existem vários graus de Síndrome de Ovários Policísticos. Desde o moderado até o mais grave são considerados patológicos. Mas existem alguns casos que só apresentam pequenas irregularidades e, por isso, não são tão sérios. Só precisam ser tratados", diz Nelson Soucasaux, especialista em ginecologia e autor do livro "Os Órgãos Sexuais Femininos: Forma, Função, Símbolo e Arquétipo".

Tudo indica que a origem deste tipo de doença feminina está associada à produção de insulina em excesso pelo organismo. O aumento da quantidade dessa substância no sangue (a hiperinsulinemia) é que provocaria o desequilíbrio hormonal.

"Algumas mulheres apresentam alterações no peso, mas isso não acontece sempre. Não necessariamente causa obesidade, apesar de ser possível. O que acontece são distúrbios hormonais que afetam no metabolismo e podem alterar muito o corpo da mulher", analisa o ginecologista.

Para evitar problemas, é importante que as mulheres consultem um médico regularmente e realizem exames de rotina.

Comente

Últimas