Por que parar de fumar é tão difícil?

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Cerca de 80% das pessoas que param de fumar só conseguem após tentar cinco vezes

Por que parar de fumar é tão difícil

Quem fuma sabe o quanto é difícil largar o vício. Mas você já parou para pensar por que é tão complicado assim? Em primeiro lugar porque o tabagismo é considerado uma doença, e como toda enfermidade precisa ser tratada.

Quando o fumante dá uma tragada, as moléculas de nicotina, substância que causa a dependência, são absorvidas pelos pulmões e caem na corrente sanguínea. Em pouquíssimo tempo, cerca de 7 a 20 segundos depois, grandes quantidades da droga já alcançam o cérebro e provoca alterações no sistema límbico - região do cérebro que comanda as emoções e as necessidades básicas do corpo, como comer e dormir.

São essas mudanças na estrutura cerebral que despertam a vontade de dar mais uma tragada. Além disso, a presença da nicotina na massa cinzenta diminui a produção natural de neurotransmissores que dão a sensação de prazer, como a dopamina e a serotonina. Sem contar tanto com elas, para o corpo voltar a se sentir bem, ele vai precisar da droga.

A forte sensação de desprazer e outros sinais desagradáveis que ocorrem na ausência de nicotina são conhecidos como síndrome de abstinência, um dos fatores que mais dificultam parar de fumar.

Isso sem falar na dependência psicológica, a falta que faz o velho hábito de estar com o cigarro por perto. Não é à toa que a maioria dos tabagistas simplesmente não consegue se livrar do vício na primeira tentativa. Cerca de 80% dos que param pra valer só são bem-sucedidos depois de tentar cinco vezes. Por isso, se você já tentou apagar o cigarro do seu cotidiano sem sucesso, não desista.

Males do cigarro

São cerca de 4.720 substâncias tóxicas existentes na fumaça do cigarro que trazem riscos à saúde do fumante. Além das mais conhecidas, como nicotina, alcatrão e monóxido de carbono, a fumaça contém também substâncias radioativas, como polônio 210 e cádmio (encontrado em baterias de carros).

Estatísticas revelam que os fumantes comparados aos não fumantes apresentam um risco 10 vezes maior de adoecer de câncer de pulmão; 5 vezes maior de sofrer infarto; 5 vezes maior de sofrer de bronquite crônica e enfisema pulmonar e 2 vezes maior de sofrer derrame cerebral.

Repense sua rotina

• Buscar atividades diferentes pode ajudar quando se está parando de fumar;

• Para quebrar as associações que existem entre fumar e sua rotina, é necessário planejar atividades para "colocar no lugar do cigarro";

• Você deve manter seus prazeres e lazeres - sem cigarro;

• Nesse período inicial, é melhor evitar certas situações até que você se sinta fortalecido para lidar com elas. Portanto, evite lugares com muitos fumantes!

• Procure iniciar caminhadas, de preferência em lugares agradáveis;

• Preencha seu tempo com algo que você realmente goste de fazer. O importante é movimentar-se, cuidando do corpo e da mente.


Por Natália Farah

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas