Saiba identificar o Parkinson

O tremor, típico da doença, só ocorre quando nenhum movimento está sendo executado

Saiba identificar o Parkinson

Dougal Thomas/Corbis

O mal de Parkinson ainda tem causas e cura desconhecidas. E a medicina tem dificuldades em diagnosticar a doença que atinge, só no Brasil, cerca de 200 mil pessoas segundo estimativa do Ministério da Saúde.

Por isso o diagnóstico da doença de Parkinson é feito por exclusão. Os médicos podem recomendar exames como eletroencefalograma, tomografia computadorizada, ressonância magnética ou análise do líquido espinhal para ter certeza de que o paciente não possui nenhuma outra doença no cérebro.

Outra forma é conhecer o histórico clínico do doente e acompanhar exames neurológicos. Não há nenhum teste específico para fazer o diagnóstico da doença de Parkinson, nem para a sua prevenção.

Em casa, como saber se um familiar ou amigo tem a doença? Como ela afeta o sistema nervoso, o tremor passa a ser típico e afeta os dedos ou as mãos, mas também ser visível no queixo, cabeça ou pés. E nem sempre aparece dos dois lados do corpo, pois há a possibilidade de um lado só ser afetado.

Vale ressaltar que o tremor do Parkinson ocorre quando nenhum movimento está sendo executado, e por isso é chamado de tremor de repouso. Por razões que ainda são desconhecidas, o tremor pode variar durante o dia.

Essa atitude torna-se mais intensa quando a pessoa fica nervosa e desaparecer quando está completamente descontraída. O tremor é mais notado quando a pessoa segura com as mãos um objeto leve como um jornal.

Outro sinal aparente é a lentidão dos movimentos. Embora esse sintoma não seja notado por outras pessoas, uma das primeiras coisas que os membros da família notam é que o doente demora mais tempo para fazer as coisas que antes fazia com mais desenvoltura, como tomar banho, se vestir, cozinhar ou preencher um cheque.

Diante de qualquer um desses sintomas ou outros suspeitos, vale sempre buscar ajuda médica. Só eles poderão avaliar e propor o tratamento correto.

Natália Farah


Comente

Assuntos relacionados: doença saúde parkinson

Últimas