Saúde ocupacional: mais importante do que você imagina!

Tendinite e LER são alguns dos sintomas da sobrecarga de trabalho

Saúde ocupacional mais importante do que você imag

Você já deve ter se acostumado a ficar conectada ao e-mail o tempo todo, responder seus chefes no fim de semana ou passar horas sentada na mesa do escritório para terminar aquele relatório. Saiba que isso tudo pode fazer muito mal à saúde, seja em curto ou longo prazo. Sua saúde ocupacional merece ser preservada. Já pensou nisso?

As sobrecargas no trabalho afetam tanto a saúde da mente quanto do corpo. Estes esforços exagerados podem causar as chamadas doenças ocupacionais, que se caracterizam por serem inerentes à atividade de trabalho ou causadas por ele.

As enfermidades mais comuns de se manifestarem (e que podem ser velhas conhecidas suas) são as Lesões por Esforços Repetitivo (LER) ou Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT). Nesse grupo, engloba-se cerca de 30 doenças, dentre as quais tendinite (inflamação dos tendões) e tenossinovite (inflamação da membrana que recobre os tendões), por exemplo.

Quais as causas?

O estopim de toda essa dor de cabeça (que também pode entrar no time das doenças ocupacionais) pode ser uma rotina comum da sua profissão: movimentos repetitivos, posturas inadequadas, sobrecarga mental, ritmo intenso de trabalho, pressão por produção, estímulo à competitividade e todas as pressões que podem nos acometer no ambiente profissional.

Lembrando que as LERs podem se desenvolver tanto nos homens quanto nas mulheres e costumam surgir nas fases mais produtivas profissionalmente, os sintomas característicos são dor (que pode ser crônica com o tempo), formigamento, fadiga muscular e cansaço. O quadro pode se agravar caracterizando também alguns fatores psicológicos, como depressão e afastamento das redes sociais, por exemplo.

De acordo com Tânia Fleig, fisioterapeuta da fabricante Mercur (especializada em produtos terapêuticos), a atenção aos detalhes é fundamental. "Uma importante recomendação é ater-se às tarefas realizadas nos diferentes ambientes, seja doméstico, trabalho ou atividades de lazer, bem como revisar o local quanto aos fatores ergonômicos, como a iluminação, temperatura, mobiliário, posições adotadas e postura nas tarefas realizadas", sugere a especialista.

Confira algumas dicas dadas por Tânia para preservar sua saúde mesmo quando a atenção está concentrada em outras tarefas:

Para quem trabalha sentado:

- Mantenha a planta de seus pés toda apoiada no chão, com os joelhos flexionados a 90º. Tenha cuidado para não exercer pressão entre a região posterior dos joelhos e a cadeira, pois isto comprime os vasos sanguíneos e dificulta a passagem do sangue nas pernas, contribuindo para formações de varizes e causando dor e formigamento nas pernas e pés. Se necessário utilize um apoio para os pés.

- Utilize cadeiras giratórias e evite realizar movimentos rotacionais bruscos com o pescoço e tronco. O mais adequado é levantar-se da cadeira ou girá-la.

- Procure levantar a cada 30 minutos e tente dar uma rápida caminhada, pois ela estimula a circulação das pernas através da contração muscular. Lembre-se de alongar braços, tronco e pernas pelo menos três vezes durante seu expediente.

- Aproxime sua cadeira da mesa, evitando flexionar o tronco ou a cabeça para digitar e mantenha as costas bem apoiadas no encosto da cadeira.

- Para quem trabalha com computador, o ideal é manter o monitor a uma distância entre 45 a 75 cm dos olhos, regulando sua altura à linha de visão.

Para quem trabalha em pé:

- Utilize calçados confortáveis, macios e, de preferência, sem saltos. Em muitos ambientes de trabalho o uso de calçados fechados é obrigatório e, se este for seu caso, não os aperte muito. É bom deixar um pouco de folga para os pés dentro dos sapatos.

- Procure alternar a posição de apoio sobre uma perna e outra. Sempre que possível, dê pequenas caminhadas e realize movimentos circulares com os pés para estimular a circulação sanguínea e minimizar as dores, desconfortos, inchaço e o aparecimento de varizes.

- Procure ficar em postura ereta, evite ficar inclinado para frente ou para os lados por muito tempo. Para quem utiliza mesas ou bancadas para manusear peças e/ou objetos, o ideal é que estas estejam a uma altura próxima a do umbigo e próximas ao corpo. Procure manter os cotovelos flexionados a, aproximadamente, 90° e os ombros relaxados - isto ajuda a evitar tensões musculares na região cervical, ombros e costas.

- Para pegar algum objeto no chão, procure flexionar os joelhos agachando ao invés de curvar-se para frente. Ao carregar algum objeto pesado, como uma caixa, por exemplo, procure mantê-lo próximo ao corpo, com os cotovelos flexionados.

Não se esqueça do alongamento!

- Em pé ou sentado, com a postura ereta e mãos na cintura, aproxime a orelha do ombro, incline a cabeça para a direita e para a esquerda, permanecendo em cada posição por 15 segundos.

- Com a postura ereta, suba os ombros, aproximando-os das orelhas e em seguida relaxe. Repita essa movimentação por 10 vezes.

- Em pé ou sentado, abra e feche a mão alternadamente, repetindo por 10 vezes.

- Sentado mais à frente na cadeira, mantenha uma perna flexionada e apoiada no solo e a outra esticada a frente e com o calcanhar apoiado. Curve para frente tentando alcançar com a mão a ponta do pé no lado da perna esticada. Este alongamento também pode ser realizado em pé, permaneça em cada posição por 15 segundos.

- Para realizar o relaxamento muscular, utilize uma bolinha de massagem e realize movimentos circulares exercendo leve pressão na região cervical, ombros, braços, região lateral dos cotovelos e punhos.

Juliany Bernardo (MBPress)


Comente

Assuntos relacionados: trabalho saúde

Últimas