Terapia ortomolecular e o emagrecimento

Terapia ortomolecular

Indicação de alimentos, suplementos e hábitos saudáveis estão entre as práticas do tratamento que ajuda a prevenir doenças. A terapia ortomolecular ajuda a evitar problemas no organismo através do equilíbrio químico. Muitas atrizes e modelos utilizavam esta terapia, inclusive para o emagrecimento.

Ela pode tratar problemas como retenção de líquidos, dificuldades para perder peso, dores de cabeça, compulsão por doces, cabelos e unhas fracas e até problemas de memória. Segundo o médico ortomolecular e geriatra Iragildo N. Machado, associado do Sindicato dos Terapeutas do Estado do Rio de Janeiro (SINTER-RJ), a terapia ortomolecular foi muito usada por atrizes . "A abordagem ortomolecular surgiu na metade do século XX e chegou ao Brasil lá pelos anos 80. Ela ficou famosa depois que várias atrizes e modelos emagreceram com a terapia e divulgaram o tratamento publicamente", afirmou.

Esta terapia tem como princípio a busca do equilíbrio químico do organismo, combatendo os radicais livres que são os prováveis causadores de doenças e do envelhecimento do corpo. Para chegar ao objetivo são utilizadas substâncias antioxidantes, como aminoácidos, minerais e vitaminas. "A terapia contribui para a prevenção de doenças e para a promoção da saúde, mas não existe milagre. É fundamental a associação de hábitos saudáveis e atividades físicas regulares para que os resultados apareçam", destacou.

Restaurar a quantidade de vitaminas e minerais até que eles fiquem em níveis considerados ideais para o organismo é a proposta do tratamento. Segundo o terapeuta holístico Paulo Edson Reis Jacob Neto, presidente do Sindicato dos Terapeutas do Rio de Janeiro (Sinter-RJ), o tratamento deve ser totalmente personalizado. "A pessoa faz exames para que as carências minerais sejam identificadas e supridas. Cada indivíduo possui um cotidiano diferente e seu organismo também tem características únicas em relação a outras pessoas", observou.

A falta de algumas substâncias no organismo pode causar disfunções como a ansiedade, nervosismo, estresse, depressão e outros sintomas desconfortáveis que não são detectados pelos exames convencionais. "O indivíduo pode sentir uma desarmonia no seu organismo, mas não sabe qual é a causa e nem como alterar essa situação. Por isso é essencial estar atento aos sinais do corpo e buscar ajudar especializada para que o incômodo seja eliminado e as doenças sejam prevenidas", apontou Paulo.

Por Catharina Apolinário

Comente

Últimas