Tipos de transtorno bipolar

A medicina identificou pequenas diferenças, por isso classificou a doença entre os tipos 1 e 2

Tipos de transtorno bipolar

Uma pesquisa recente divulgada pela Associação Brasileira de Transtorno Bipolar (ABTB) apontou que 4% da população brasileira, ou seja, mais de 7,6 milhões de pessoas sofrem com o transtorno bipolar.

O problema é caracterizado como doença sem cura, mas com tratamento e controle. A medicina sabe que a predisposição genética é a origem de tudo e vem associada a fatores externos como conflitos familiares, com amigos e ou ainda a agressão na infância.

Como ainda não há exames laboratoriais e equipamentos para identificar o transtorno, o único jeito é conversar bastante com o paciente, avaliando o histórico dele e da família.

A doença se manifesta em fases que alternam a hiperexcitabilidade e a agitação com profunda tristeza e depressão. A duração de cada fase varia de pessoa para pessoa, podendo durar horas, dias, meses e até anos. Ainda dentro da doença, a medicina identificou pequenas diferenças, por isso classificou a doença entre os tipos 1 e 2.

O tipo 1, que acomete cerca de 1% dos brasileiros portadores da síndrome, se caracteriza por episódios de depressão e de exaltação de humor mais graves e agitação psicomotora, em que a pessoa faz movimentos involuntários causados pela tensão.

Em cerca de 15% dos portadores do tipo 1 do transtorno bipolar, a doença apresenta sintomas psicóticos. No quadro de mania, são registrados os episódios de exaltação de humor mais intensos, que se manifestam por delírios, em que a pessoa se considera famosa, acredita ter poderes especiais ou ser mais habilidosa que os outros.

Já nos episódios de depressão, os sintomas psicóticos vêm com pensamentos delirantes de inutilidade, de ruína, culpa, ou com a certeza de uma doença física grave. Não é raro, nessa fase, a pessoa ter pensamentos suicidas.

Conheça alguns sintomas do tipo 1, o mais comum da doença.

• Autoestima é elevada e o paciente possui uma grande dose de confiança;

• O paciente tem uma tendência a pensar mais do que o habitual;

• Atitude ambiciosa evidente;

• Insônia;

• Paciente fala muito.

Já o tipo 2 do transtorno bipolar atinge entre 5% e 6% dos brasileiros portadores da doença e se manifesta por episódios depressivos e de exaltação de humor mais brandos, sem sintomas psicóticos.

Segundo a professora de psiquiatria da Universidade de Brasília, Maria das Graças de Oliveira, há estudos consistentes com indícios de que a pessoa bipolar tem uma inteligência acima da média.

"Tem alguns que mostram que as pessoas com transtorno bipolar foram crianças com maior fluência verbal. É um transtorno mais frequente em pessoas mais criativas, muito frequente em artistas, cantores, escritores, pintores. A genética, associada ao transtorno bipolar, parece ser a mesma que está associada à criatividade.", comenta.

Natália Farah


Comente

Últimas