TPM

Saiba como amenizar os sintomas da tensão pré-menstrual

TPM  Saiba como amenizar os sintomas da tensão pré

Só quem sofre com os sintomas da TPM sabe que se controlar nos dias que precedem a menstruação não é tarefa fácil, principalmente se eles vierem acompanhados de um pacote de complicações que atrapalham o seu bem-estar. Afinal, não dá para ser feliz com os inchaços, o mau humor, a irritabilidade, a ansiedade, as dores de cabeça, as alterações na concentração, a tristeza e o cansaço excessivo batendo à sua porta uma vez por mês.

Quer amenizar os sintomas da TPM de forma natural? Aposte nos alimentos certos. Saiba que priorizar uma alimentação saudável e equilibrada vai oferecer ao organismo substâncias importantes que regulam o equilíbrio hormonal e melhoram até o humor. Além disso, uma dieta balanceada ainda vai garantir que você mantenha o seu corpo jovem e bonito por mais tempo.

De acordo com a nutricionista Gabriela Marcelino, aos primeiros sinais da chegada da TPM, o primeiro passo é aumentar a ingestão de água e ter no cardápio nutrientes que amenizam os sintomas, como o cálcio, que ajuda na melhora do humor, na concentração, no comportamento e na retenção de líquidos. O nutriente é encontrado no leite e nos derivados em versões desnatadas, assim como no queijo tofu, em vegetais folhosos verdes escuros e na sardinha. Beber muita água, água de coco e sucos, também ajuda a diminuir a retenção de líquidos e colocar o intestino para funcionar. Alimentos como a vitamina B6 - peixes, frango, carne de porco, fígado e vísceras e nos ovos, também ajudam a controlar os sintomas da tensão pré-mestrual. Nos vegetais, a vitamina é encontrada nos cereais integrais, feijões, amendoim e nozes, sendo que a soja merece um destaque especial entre eles.

Outro nutriente eficiente na redução dos sintomas da TPM é a vitamina E, encontrada em cereais integrais, frutas oleaginosas e na gema de ovo. Entre os minerais, o zinco é importante na formação de hormônios e na função reprodutiva, tem ação antiinflamatória contra a formação de acnes e está presente em produtos integrais, como levedo de cerveja, gérmen de trigo e carnes. "Outro mineral importante é o magnésio, que ajuda no alívio das dores de cabeça, e em combinação com a vitamina B6, ajuda a regular o ganho de peso, melhora a qualidade do sono, melhora o estresse, regula o ciclo menstrual e sua duração. São fontes de magnésio, as carnes, frutos do mar, vegetais verdes e laticínios em geral", comenta a nutricionista.

Neste período, aumente a ingestão de carboidratos complexos, como tubérculos, aveia, cereais, pães e arroz integral, e troque todos os produtos refinados por integrais. O alto teor de fibras destes alimentos vai evitar a prisão de ventre e os desconfortos gastrintestinais que estão acentuados nessa época. A soja e derivados também podem ser consumidos pelas mulheres. "As isoflavonas (presentes em leguminosas) são metabólitos secundários pertencentes ao grupo dos bioflavonóides, substâncias presentes em grandes quantidades na soja, grão de bico e similares", explica Gabriela Marcelino.

Evite alimentos que intensificam os sintomas

Neste período, vale a pena regular ou retirar os alimentos que acentuam os sintomas. Portanto, evite bebidas a base de cola, chá preto, guaraná em pó e café, por causa da cafeína, que tende a aumentar a tensão e a sensibilidade, além de causar insônia, dores de cabeça e irritabilidade. Reduza o consumo de sal, pois um dos sintomas da TPM é a retenção de líquidos, e além da mulher ficar mais inchada, corre o risco de aumentar a pressão arterial. Evite comer embutidos e defumados, tais como salames, presuntos e salsichas. Produtos industrializados e conservas também têm muito sódio e devem ser evitadas.

Abra mão de bebidas alcoólicas, elas causarão desidratação e também podem provocar alterações na glicose sanguínea e piorar o quadro de dores de cabeça. "Também evite comer chocolate ou prefira versões com mais cacau do tipo amargo e meio amargo, fonte de flavonóides substâncias antioxidantes que inibem a produção dos radicais livres, e estão relacionados ao surgimento de doenças cardiovasculares", ensina a nutricionista.

Por Paula Perdiz

Comente

Últimas