Unha saudável é sinal de higiene

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Unha saudável é sinal de higiene

Talvez você já tenha passado por esta situação desagradável: a pessoa é linda e simpática, mas quando você olha para as unhas... decepção total! Difícil aceitar, certo?   O aspecto das unhas conta muito na impressão geral que uma pessoa passa aos outros, especialmente no caso das mulheres. Por isso, ostentar unhas saudáveis e bem cuidadas pode ser muito importante.

Os problemas que afetam as unhas e cutículas, apesar de, na maioria das vezes, não serem graves, provocam desconforto e preocupação, pois são indícios da falta de asseio, além de ser um indicativo de como anda a saúde. O compositor Vinicius de Moraes costumava dizer que mulheres finas têm extremidades bem cuidadas.  

Na ânsia de manter as cutículas bem aparadas, muitas mulheres acabam exagerando no cuidado ou fazendo-o de maneira inadequada, causando inflamações, irritações e até enfraquecimento das unhas e deformidades.

Unha encravada

A unha encravada ocorre quando uma de suas pontas entra na pele ao seu redor. Isso acontece porque a pele forma uma barreira ao seu crescimento e, como a unha não pára de crescer e é mais rígida, perfura-a, causando dor e inflamação. "Geralmente, a causa é o hábito errado de se cortar os cantos das unhas", explica a podóloga Isabel Pereira.

Segundo a especialista, o uso de sapatos de pontas finas também facilita o encravamento. Em crianças recém-nascidas, o uso de macacões com pés fechados também podem ocasionar o problema se não forem bem folgados.

A universitária Maria Isabella Garcia conhece bem o sofrimento de uma unha encravada por dias. "Eu fui a pedicure e fiz as unhas do pé. À noite eu tinha um evento e coloquei sapatos fechados. No outro dia, não consegui colocar o pé no chão. Procurei um profissional e ele me informou que a forma com que minha unha tinha sido cortada estava errada. Atualmente, não faço as unhas com qualquer pessoa", conta.

Os dedos mais atingidos por esse mal são os dos pés – sobretudo os "dedões", nos quais as unhas encravam quase sempre pelos cantos. "O quadro se inicia com dor local que vai aumentando de intensidade e pode se tornar insuportável. A pele ao redor da unha fica inflamada, inchada e avermelhada, podendo haver eliminação de pus e formação de um granuloma piogênico (carne esponjosa)", esclarece Isabel Pereira.

O tratamento varia de acordo com a intensidade de cada caso. "Podem ser necessários desde medidas simples, como o afastamento da pele inflamada por um chumaço de algodão, até procedimentos cirúrgicos para remover o tecido inflamado. A extração da unha deve ser evitada, pois quando ela voltar a crescer, pode encravar novamente. O tratamento cirúrgico pretende desobstruir a passagem da unha, que pode então passar livremente" afirma o podólogo Marcelo Ferreira.

Micose

O tratamento de uma micose de unha é geralmente demorado e necessita, juntamente com um bom medicamento, da colaboração ativa e persistente do paciente. "O tratamento pode ser feito com comprimidos de compostos antimicóticos ou antifúngicos e mediante aplicação de um esmalte com composto antifúngico. Caso seu médico opte pelo tratamento com esmalte, atente para essas orientações ao tratamento de micose de unha", aconselha Isabel.

O crescimento de uma nova unha geralmente requer um longo tempo. "Portanto, a pessoa deve ter paciência, mesmo que decorridas algumas semanas de tratamento e não tenha observado nenhuma melhora aparente. Uma unha normal e sadia cresce cerca de dois milímetros por mês. Para que sua unha doente possa recuperar-se integralmente, é preciso que você faça uso de esmalte terapêutico para unhas com freqüência constante e regular, conforme indicado pelo seu médico", diz Marcelo Ferreira.

Segundo o especialista, antes da primeira aplicação do esmalte terapêutico recomenda-se cortar a unha o mais rente possível, com alicate ou tesoura apropriada. "Com uma lixa grossa, lixar a unha o máximo possível até atingir a sua parte boa e sadia é importante. O restante da unha ficará então mais fino. Em seguida, aplique uma fina camada do esmalte terapêutico sobre a unha doente, sendo suficiente uma ou duas pinceladas. Para eliminar a micose, uma camada homogênea do esmalte é suficiente", garante ele.

Dicas

Para se ter unhas bonitas e saudáveis, o Cyber Diet conversou com a manicure Janielle Giovanelli e preparou algumas dicas. Confira:

Tempo de retirada do esmalte: Deixar as unhas pintadas por mais de cinco dias pode enfraquecê-las. Quando o esmalte começa a descascar, é hora de retirá-lo e aproveitar para caprichar na hidratação da área. Dê um intervalo de pelo menos uma semana, pois as unhas precisam respirar. Antes de passar o esmalte, use uma base fortalecedora.

Acetona: Use acetona só uma vez por semana. Esse tipo de produto, quando usado em excesso, resseca as unhas, que se tornam frágeis e quebradiças. É recomendável a utilização do removedor de esmaltes, pois geralmente é mais suave e resseca menos.

Cutícula: O ideal é retirar só o excesso, pois ela forma uma barreira protetora contra a invasão de microorganismos causadores de doenças. Comece aplicando um creme específico para amolecer cutículas e, em seguida, empurre-as. Com a própria espátula, retire somente o excesso de pele. O que sobrar, retire com o alicate, mas sem eliminar toda a cutícula. Ela protege as unhas contra fungos e bactérias. Por isso, é um erro retirá-la totalmente.

Como lixar as unhas: As unhas dos pés precisam ser lixadas em formato quadrado para evitar que encravem. Nas mãos, vale também o formato redondinho, desde que a unha não fique pontuda, o que poderia fazer com que ela quebrasse com mais facilidade. O formato oval é ideal para unhas fracas, porque quebra com menos facilidade. O quadrado exige movimentos firmes e retos da lixa. Unhas redondas devem ser lixadas na diagonal. Uma vez por mês, lixe também a superfície das unhas com a parte mais fina da lixa para retirar as impurezas e as células mortas.

Cuidado com instrumentos e produtos: Mantenha todos os instrumentos (espátula, alicates, limas) limpos e, se possível, desinfetados. Se você vai a manicure, verifique se ela desinfeta o material após utilizá-lo em cada cliente. Não tente reaproveitar esmaltes ressecados utilizando solventes, pois eles modificam sua composição química, comprometendo a qualidade do produto - ou seja, você até pode utilizá-lo, mas haverá alterações na textura, o que pode provocar um descascamento mais rápido.

Para o esmalte durar mais tempo: A dica é passar a ponta do dedo sobre a parte lixada da unha logo depois que ela for pintada. Isso ajuda a retirar o excesso de esmalte, o principal culpado pelas pontas das unhas descascarem rapidamente. Já para evitar as bolhas, faça as unhas em um local arejado, em temperatura agradável. Evite sol ou vento demais, pois justamente são as variações de temperatura que levam a produção por água abaixo.

Para o esmalte secar mais rápido: Evite o excesso de esmalte limpando bem o pincel na borda do vidro antes de aplicá-lo nas unhas. Mergulhe as mãos em um pote com água bem gelada ou use um óleo secante logo depois de pintá-las.

Efeitos e colorações: Para tornar sua unha mais comprida, deixe uma faixa bem fininha sem pintar nas laterais. Mas o efeito tem de ser sutil, para não ficar com ar de desleixo. Muitas pessoas têm dúvidas se a coloração utilizada nas mãos tem de ser a mesma da aplicada nas unhas dos pés: na verdade, isso depende do estilo de cada um. Se você não é das mais ousadas, opte por colorir a mão e deixar o pé bem discreto, ou vice-versa.

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas