Vaginite - prevenir para evitar

Vaginite  prevenir para evitar

Coceira, corrimento e cheio desagradável? Fique atenta porque esses são alguns dos sintomas da vaginite, a temida inflamação que acontece nos tecidos do órgão sexual feminino. A doença pode ser causada por vários motivos, que vão desde a má higiene do local até o estresse.

O uso de cremes, talcos, duchas íntimas, absorventes internos e objetos eróticos também podem irritar a área que, se não for bem cuidada, fica suscetível à doença. Os sintomas mais evidentes da vaginite são excesso de umidade, corrimento amarelado, coceira, vermelhidão e odor forte.

O ginecologista e obstetra Jean Carlos Matos, de Porto Alegre, alerta ainda par ao uso de protetores diários de calcinha. "Eles impedem a transpiração normal da vagina", informa.

Se a mulher desconfia de que está com vaginite, um exame realizado pelo ginecologista pode tirar esta dúvida. A doença não é sexualmente transmissível, mas como explica Jean Carlos, há um tipo de vaginite - a candidíase - causada por bactéria sexual. "Por isso é muito importante procurar um médico a qualquer sintoma. Além disso, a mulher deve evitar parceiros sexuais que apresentem qualquer tipo de inflamação", sugere.


O tratamento é feito com antibióticos, antifúngicos, bactericidas ou comprimidos - tudo que possa eliminar os microorganismos responsáveis pela inflamação.

Como a maioria das doenças sexuais, mais fácil que tratar é prevenir. Siga alguns cuidados para evitar o problema:

  • evite os protetores diários
  • prefira calcinhas de algodão
  • utilize sabonete suave (não coloridos) e água quente na hora do banho
  • prefira papel higiênico branco e sem perfume
  • não faça uso de duchas vaginais
  • Comente

    Últimas