Você sabe qual a diferença entre gripe e resfriado?

Entenda a diferença e veja como prevenir

Você sabe qual a diferença entre gripe e resfriado

Com a chegada do inverno a temperatura dos termômetros cai dia após dia, é comum as pessoas contraírem gripes e resfriados. Na cultura brasileira, qualquer espirro é sinônimo de gripe, mas se engana quem pensa assim.

O resfriado é considerado um estado gripal que ocasiona uma infecção simples no trato respiratório superior (nariz e garganta), com duração de no máximo duas semanas. Nesta infecção, ocorre uma destruição do revestimento interno das vias respiratórias pelo vírus causador do resfriado. As bactérias que já estão nessas vias respiratórias se aproveitam, produzindo o catarro que pode ser expelido pela boca ou pelo nariz.

Já a gripe é uma doença contagiosa resultante da infecção pelo vírus influenza (o mesmo da gripe H1N1). Este vírus atinge o nariz, seios nasais, garganta, pulmões e ouvidos e pode atingir diferentes espécies de seres vivos. Entre os sintomas mais comuns estão febre, calafrios, dor de garganta, dores musculares, dores de cabeça, fadiga, tosse e mal estar. Em casos mais graves a gripe pode resultar em pneumonia e até mesmo levar a óbito.

O Dr. Moises de Melo explica melhor a diferença: "Podemos dizer que a gripe é um resfriado muito mais intenso que pode matar, porém as duas doenças são diferentes e causadas por vírus diferentes. Os resfriados podem ocorrer em qualquer época do ano, sendo que a gripe costuma ser sazonal, ocorre com mais frequência nos meses de outono e inverno."

Mesmo sendo confundida com o resfriado, a gripe é muito mais grave e é transmitida pela saliva, secreções nasais, fezes, sangue, bocejo e tosse da pessoa infectada. Os vírus podem infectar por cerca de uma semana à temperatura do corpo, por mais de 30 dias a 0°C e por períodos mais longos em temperaturas mais baixas. A maior parte das variedades do vírus influenza pode ser neutralizada por meio de higienização das mãos. "Evite ambientes fechados com pessoas tossindo e sempre proteja a boca e o nariz antes de tossir", sugere o médico.

Através da intensidade dos sintomas os pacientes podem suspeitar se estão gripados ou resfriados. O Dr. Moises explica: "Quadros que surgiram repentinamente, com muitos sintomas, febre e levando a necessidade de repouso podem indicar uma gripe. Os sintomas de um resfriado confundem-se muito com o quadro de uma rinite alérgica. Em ambos os casos há a necessidade de uma avaliação médica geral até porque uma gripe pode levar à morte."

Em alguns casos o tratamento da gripe pode ser realizado a partir de analgésicos, antitérmicos, hidratação e repouso. Os antibióticos são prescritos apenas em casos em que a gripe vem acompanhada de infecções bacterianas, que podem agravar o quadro.

A vacinação é de extrema importância e tem como objetivo fazer com o que o indivíduo não contraia a infecção, ou não apresente um quadro mais grave. Na maioria dos casos, a pessoa pode levar cerca de duas semanas para desenvolver os anticorpos apropriados. "Para os resfriados, não existem vacinas, já que há mais de 200 vírus causadores. Já para a gripe sim. O vírus que a causa é o da Influenza, e esse como qualquer outro vírus sofre mutações, se modifica com o passar dos anos. Por isso que existe a necessidade de tomar a vacina anualmente."

Pessoas que já passaram dos 50 anos, profissionais de saúde, transplantados, pacientes com HIV, obesidade mórbida, doenças neurológicas e doentes crônicos estão entre aqueles que devem tomar a vacina todos os anos.


Thaís Santos (MBPress)

Comente

Últimas